Notas

Sá Pessoa, a mais alta entrada no Best Chef Awards e melhor português da lista. 

Henrique Sá Pessoa Best Chef Award 2021

Não é a estreia de um chef português nesta lista The Best Chef Awards, mas é a primeira vez que algum entra para uma posição tão elevada, a nº38. Esse feito alcançado por Henrique Sá Pessoa na lista anunciada esta quarta-feira em Amesterdão valeu-lhe ainda o prémio melhor “nova entrada”.  

O ranking, liderado por David Muñoz, do restaurante DiverXo, em Madrid, teve ainda a presença de José Avillez do Belcanto, em 44º lugar, e de Hans Neuner, do Ocean, no nº 50.

The Best Chefs Awards é uma premiação focada nos chefes criada em 2015 pela neurocientista polaca Joanna Slusarczyk e pelo gastrónomo italiano Cristian Gadau e tem tido edições anuais desde 2017. 

Segundo a informação recolhida no site do prémio, o processo de votação do The Best Chef Awards passa, pela elaboração de uma lista de 200 nomeados, que inclui 100 “rostos novos”, bem como o Top 100 da edição anterior, que são nomeados automaticamente. Os 100 novos rostos são selecionados por “um grupo de 100 profissionais anónimos que, “por meio de suas viagens, vasculham o mundo e descobrem talentos”.

Estes profissionais, cujos nomes não são divulgados, incluem jornalistas gastronómicos, críticos, bloggers, fotógrafos e outras pessoas do meio gastronómico e as suas escolhas para cada um dos rostos novos é devidamente justificada. A lista de todos os 200 chefes nomeados é anunciada todos os anos no final de abril. Por sua vez a votação final é efectuada por estes 100 elementos a que se juntam os chefes do top 100 do ano anterior, sendo que os votos destes representam 70% do resultado final. “Dessa forma”, justifica a organização, “os chefes passam a influenciar mais a lista”.

A lista The Best Chef Awards está longe de ter o mesmo impacto de prémios como os do Guia Michelin ou como a lista The World’s 50 Best Restaurants. Porém, tal como o OAD, vem ganhando cada vez mais notoriedade, muito à conta da divulgação dada pela organização e, sobretudo, pelos próprios chefes que se destacam no ranking. 

De relembrar que Henrique Sá Pessoa vai abrir em breve o restaurante Arca, em Amesterdão, que se junta assim aos lisboetas Alma (duas estrelas Michelin), Tapisco, Cais da Pedra, Balcão (Ep Corte Inglés), corner do Time Out Mercado da Ribeira – todos com o grupo Plateform, com quem tinha também o Tapisco Porto, que entretanto encerrou – e o restaurante Chiado, em Macau. 

De referir por último que, aproveitando a cerimónia do The Best Chef Awards, em Amesterdão, Sá Pessoa junto com a Chef’s Agency, organizaram um jantar a várias mãos, no novo espaço, em que participaram Diogo Rocha (Mesa de Lemos), Rui Paula (Casa de Chá da Boa Nova ) e Rui Sequeira (Alameda).

Co-autor do Mesa Marcada. Escreve sobre gastronomia no Público, Revista de Vinhos (crítica gastronómica) e em títulos internacionais como Cook Inc (Itália), Eater.com (EUA) e Gula (Brasil). É autor do livro “Lisboa à Mesa - Guia onde Comer. Onde Comprar”, com edições em português, inglês e espanhol (na Planeta).

2 comments on “Sá Pessoa, a mais alta entrada no Best Chef Awards e melhor português da lista. 

  1. Jorge Gonçalves

    Notícia interessante, só falta o mais importante que seria informar para que lugar na lista entrou Sá Pessoa.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: