Instaposts Restaurantes

Um almoço no Prado Mercearia

Em Março de 2019, o Prado Mercearia abriu uma vertente de restaurante com propósito dinamizar o espaço da loja adjacente ao Prado Restaurante, servir de residência a chefes estrangeiros e portugueses amigos da casa e, por último, dar a oportunidade a cozinheiros do Prado de exprimirem as suas ideias e serem responsáveis pela cozinha durante um período.

Entretanto a pandemia virou tudo do avesso e quando reabriram, um “novo normal” tomou conta da actividade. O Prado passou a estar aberto apenas alguns dias e somente ao jantar (período esse que foi, entretanto, alargado), enquanto o Prado Mercearia reabriria mais tarde, em Julho, apenas ao almoço (12h às 16h), com a prata da casa. O cozinheiro escolhido foi o brasileiro Pedro Forato, da equipa de @Antoniogalapito, que já ali fizera uma temporada, em Dezembro.

Forato trouxe do Prado a matriz das propostas, de uma forma mais simplificada, e ainda que ninguém estivesse à espera de encontrar, num curtíssimo menu, um caminho ou uma identidade, não deixa de ser interessante perceber que há por ali ideias e uma certa criatividade, em pratos equilibrados e plenos de sabor.

A abrótea com tomate e molho pil pil é um prato delicioso e simples. sem ser simplório; a beringela assada lembra um Ottolenghi, mas mais fino no palato; e o escabeche de mexilhão, funcho e paiola soou-me  a um trio de free jazz em que os músicos resolveram ensaiar. O extra, a sobremesa (adaptada de uma do Prado), é um tratado de como se pode potenciar um fruto amado como o figo e juntá-lo num forrobodó com um maravilhoso gelado de leite de cabra.

O menu de três pratos custa 19€, o que é mais do que justo, mesmo sendo ao almoço (a sobremesa é um extra, mas pode substituir um dos pratos salgados sem acréscimo no preço). O único reparo que faço é nos vinhos a copo. Ontem, eram apenas 3, o que até é compreensível, dada a conjuntura: um branco (5.5€) e dois tintos (8 e 9€). Porém, deveria haver – e creio que até política da casa – uma proposta de tinto de um valor mais baixo, para que não seja um ou dois copos de vinho a salgar a conta.

P.S. Esta secção Instagram é composta por posts publicados (ou adaptados de publicações) na conta do Instagram do autor (@migpires), ou na do Mesa Marcada (@mesamarcada_oficial).

Co-autor do Mesa Marcada. Escreve sobre gastronomia no Público, Revista de Vinhos (crítica gastronómica) e em títulos internacionais como Cook Inc (Itália), Eater.com (EUA) e Gula (Brasil). É autor do livro “Lisboa à Mesa - Guia onde Comer. Onde Comprar”, com edições em português, inglês e espanhol (na Planeta).

<span>%d</span> bloggers like this: