Notas Restaurantes

Quatro novos restaurantes em Lisboa recomendados pelo guia Michelin 2021

Só hoje recebi por correio a edição impressa do Guia Michelin Espanha e Portugal 2021, anunciado na Gala virtual que decorreu a 14 de Dezembro do ano passado, e, além das novas estrelas já conhecidas – 100 Maneiras e Eneko, ambos em Lisboa – tive curiosidade de ver aqueles que, em Lisboa e no Porto, cidades que conheço melhor, figuram pela primeira vez no guia, distinguidos com o símbolo “Prato Michelin”, que significa: “Uma cozinha de qualidade. Produtos de qualidade e a mão de um chefe, simplesmente uma boa comida!”. Não confundir com os Bib Gourmand, que distinguem, no entender da Michelin, as melhores relações qualidade/preço.

Começando pelo Porto, porque é mais rápido, só consegui ver que saiu o Mini-Bar, porque fechou. De resto, tudo igual, a não ser a já noticiada “subida” do In Diferente e do Semea a Bib Gourmand. Já em Lisboa há mais diferenças. Saíram, também porque fecharam, o Pesca, O Asiático e o Mini-Bar (este foi deslocado para o espaço do Bairro do Avillez). Mas há quatro boas entradas a assinalar: o Fogo, de Alexandre Silva (classificado com “Grelhados – Na Moda”), Grenache (no Pátio Dom Fradique, junto ao Castelo de São Jorge, classificado como “Francesa – Contemporânea – Simples”), JNcQUOI (incompreensivelmente classificado como “Internacional – Recarregado”) e o Prado (classificado como “Do Mercado – Relaxado”). Outra novidade em Lisboa, também anunciada na Gala, foi O Frade (“Regional – Taberna”) ser distinguido com Bib Gourmand.

Enfim, mesmo em tempos como este, sobretudo em relação ao Porto, é óbvio que os inspectores deviam ter feito mais visitas e nem sempre acertaram com as classificações. Mas destaque-se que, para todos os restaurantes que figuram no guia, há textos mais alargados e explicativos, em melhor português do que era costume. Salvo a capa, onde está apenas, em bom espanhol, “La Guía Michelin”…

Nasceu em Lisboa em 1963. Licenciou-se em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa e trabalhou em diversos jornais (Semanário, Diário Popular e Diário de Lisboa) e, depois, na área de comunicação empresarial. Em 1997, começou a colaborar com a revista “Fortuna” na área de gastronomia e vinhos. Em 1999, criou a página “Boa Vida” para o “Diário de Notícias”, que coordenou até Janeiro de 2009, com algumas interrupções. Entre 2007 e 2019, foi coordenador do Projecto Gastronomia da Associação de Turismo de Lisboa e, nesse âmbito, director do festival gastronómico Peixe em Lisboa, continuando a escrever artigos sobre gastronomia e restaurantes em várias publicações.

0 comments on “Quatro novos restaurantes em Lisboa recomendados pelo guia Michelin 2021

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

<span>%d</span> bloggers like this: