Notas

Guia Michelin sai da Rússia

Durou pouco tempo o Guia Michelin Moscovo, publicado pela primeira vez em Outubro do ano passado, distinguindo 69 restaurantes na capital russa. É que a Michelin acaba de anunciar que, “dada a gravidade da actual crise”, decidiu “suspender todas as recomendações de restaurantes na Rússia”, não promovendo Moscovo “como destino”, congelando todos os projectos de desenvolvimento no país. Foram também suspensas as publicações sobre os restaurantes da seleção de Moscovo nas redes sociais, na página da Internet e na App do Guia Michelin.

Os responsáveis pelo guia fazem, no entanto, questão de realçar que “estas decisões não colocam, de todo, em questão o talento dos chefes e equipas dos 69 restaurantes galardoados no passado mês de Outubro”. Nessa estreia do guia moscovita foram anunciados, numa gala que reuniu 500 pessoas, dois restaurantes com duas estrelas, sete restaurantes com uma estrela, três restaurantes com a estrela verde e 15 restaurantes Bib Gourmand.

Foto de abertura: Gwendal Poullennec, Diretor Internacional dos Guias Michelin, na altura do anúncio do novo guia sobre Moscovo

Nasceu em Lisboa em 1963. Licenciou-se em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa e trabalhou em diversos jornais (Semanário, Diário Popular e Diário de Lisboa) e, depois, na área de comunicação empresarial. Em 1997, começou a colaborar com a revista “Fortuna” na área de gastronomia e vinhos. Em 1999, criou a página “Boa Vida” para o “Diário de Notícias”, que coordenou até Janeiro de 2009, com algumas interrupções. Entre 2007 e 2019, foi coordenador do Projecto Gastronomia da Associação de Turismo de Lisboa e, nesse âmbito, director do festival gastronómico Peixe em Lisboa, continuando a escrever artigos sobre gastronomia e restaurantes em várias publicações.

%d bloggers like this: