Notas

Arrebita Idanha Bio, a gastronomia ao ar livre em belos cenários

O próximo fim de semana promete ser de arromba para quem se deslocar até Idanha-a-Velha (no sábado) e Penha Garcia (no domingo), duas belas aldeias históricas do município de Idanha-a-Nova (Castelo Branco) onde mais de 30 renomados chefes e outros profissionais da área, vindos de vários pontos do país, vão servir pratos pelas ruas ao preço único de seis euros. É a segunda edição do Arrebita Idanha Bio, um evento de entrada livre, que conta ainda com música do DJ B. Riddim e um novo Mercado de Produtores, no sábado, com muitos produtos certificados deste município da Beira Baixa, que se orgulha de ser a primeira Bio Região portuguesa.

“Desta vez, podemos soltar as amarras, sem as restrições que a pandemia impôs no ano passado”, afirma Paulo Barata, da Amuse Bouche, empresa que criou e organiza o Arrebita, que também já teve edições recentes em Portimão e na Guarda. “Já não temos que limitar a lotação nem tomar medidas como estabelecer um sentido único para os visitantes”, prossegue o mesmo responsável por este festival gastronómico que na primeira edição de 2020 contou com mais de oito mil visitantes, vindos de vários pontos do país, desde o Algarve até Braga, e que, segundo dados da autarquia de Idanha-a-Nova citados pela organização, teve um impacto superior a 300 mil euros na economia local.

Tal como no ano passado, também desta vez a adesão dos chefes ao evento foi muito boa – não obstante os problemas com falta de pessoal de cozinha e sala com que actualmente se deparam – e assim poderão ser provados desde pratos preparados por nomes já consagrados, mas também por outros menos conhecidos ou de quem está agora a começar (ver lista completa abaixo), com diversos estilos culinários. “Todos os que puderam, disseram logo que sim. Acho que, além da beleza dos locais onde vão cozinhar, os chefes são atraídos pela possibilidade de descontrair, de conviver com outros colegas, de se divertirem, e nós fazemos questão que isso aconteça”, conclui Paulo Barata.

As paisagens dos locais onde vai decorrer o festival são um dos seus maiores atractivos

ARREBITA IDANHA BIO/ CARTAZ COMPLETO

Idanha-a-Velha, 2 de Outubro (Sábado)

Marcella Ghirelli (Comida Independente, Lisboa) – Sandes de almôndegas de coelho em pão de batata/ Sandes de focaccia, beringela assada e queijo de cabra da Beira Baixa

Rodolfo Lavrador (Ofício, Lisboa/ Sangue na Guelra) – Tosta sourdough frita e embebida em caldo de cozido com doce de framboesa, couve portuguesa grelhada, presa porco preto grelhada, toucinho laminado e emulsão de hortelã e coentros

Carolina Pereira (Pasteleira, ex-LOCO) – Marmelos e Cardamomo

João Pupo Lameiras (Bacalhau, Porto) – Cevadinha de abóbora com bochecha e rabo de boi e vinagre de framboesa (disponível versão vegetariana)

Pedro Braga (Mito, Porto) – Flatbread de centeio, labneh, pimento fumado fermentado, cabrito assado, tabbouleh

Francesco Ogliari + Marisa Tiago (Tua Madre, Évora) – Durum Kebab de javali

Lara Espírito Santo + George Mcleod (SEM, Lisboa) – Espetada de borrego, batatas bêbadas e salada selvagem

Rui Barata e Bruno Rodrigues (BRB Monsanto) – Sandes em bolo do caco de porco bísaro bio na panela de ferro com piso raiano de queijo de cabra

Pedro Oliveira – Porco braseado em soja com daikon e cebola crocante (disponível versão vegetariana)

Maria de Sousa (Casa da Velha Fonte na Casa da Amoreira, Idanha-a-Velha) – Sopa de nabo romano e pão romano

Luís Gaspar (Sala de Corte, Lisboa) – Tarte tatin de maçã da Beira Baixa e mousse de queijo amarelo DOP da Beira Baixa

Artur Gomes – Cherovia, queijo da serra, cogumelos e avelãs

Daniel Rente (Sushi Café Avenida) – Tártaro de cavala com vinagrete de cebolo/ Agedashi de tofu

Filipe Rebocho (Híbrido, Évora) – Hot Cow – Salsicha de vaca picante, beterraba fermentada, maionese de boletos

Catarina Race (’83, Chaves) – Taco de Franganito Pibil

Mário Rolando (Padeiro) – Pão de fermentação natural

Todos os pratos do evento, que tem entrada livre, têm o preço único de seis euros

Penha Garcia, 3 de Outubro (Domingo)

Ricardo Costa (The Yeatman, V.N. Gaia, 2* Michelin) – Caça & Cogumelos (cevadinha. Tomilho e azeite de trufa)/ Sanduíche de porco bísaro, kimchi e coentros

Pedro Almeida (Midori, Sintra, 1* Michelin) – Bao de bochecha de porco com hoisin, tomate assado e pickle de cebola roxa

Vincent Farges (Epur, Lisboa, 1* Michelin) – “A Matança” por Vincent Farges (couve, cabeça de porco, chispe, orelhas, enchidos e papada com azeite bio)

Hugo Brito (Boi-Cavalo, Lisboa) e Joaquim Saragga Leal (Taberna Santo Humberto, Évora) – Sandes de barriga de porco fumada, salada de couve, maionese de lagostim

Tiago Bonito (Largo do Paço, Amarante, 1* Michelin) e Angélica Salvador (InDiferente, Porto) – Moqueca de camarão, batata doce assada, gengibre e coentros/ Caldo de Mocotó

Sr. Domingos (Guardião dos moinhos de Penha Garcia) – Sopa de grão tradicional em pote de ferro

Miguel Peres (Pigmeu, Lisboa) – Javali e chicharos do Monte Silveira

Renato Cunha (Ferrugem, V.N. Famalicão) – Feijoada de feijoca branca, tomate coração de boi e cogumelos

Raquel Ramos (Geocakes) – Tigelada de Idanha, espuma de abóbora confitada e telha de amêndoa

Natalie Castro e Joana Costa (ISCO, Lisboa) – Queijo de ovelha folhado/ Tosta de bolo de azeite, queijo, mel e frutos secos

Arnaldo Azevedo (Villa Hotel Foz & Spa, Porto) – Sandes de massa mãe com rabo de boi e queijo de ovelha/ Beringela miso e caldo de grão

Fotografias: Gonçalo Villaverde

Nasceu em Lisboa em 1963. Licenciou-se em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa e trabalhou em diversos jornais (Semanário, Diário Popular e Diário de Lisboa) e, depois, na área de comunicação empresarial. Em 1997, começou a colaborar com a revista “Fortuna” na área de gastronomia e vinhos. Em 1999, criou a página “Boa Vida” para o “Diário de Notícias”, que coordenou até Janeiro de 2009, com algumas interrupções. Entre 2007 e 2019, foi coordenador do Projecto Gastronomia da Associação de Turismo de Lisboa e, nesse âmbito, director do festival gastronómico Peixe em Lisboa, continuando a escrever artigos sobre gastronomia e restaurantes em várias publicações.

0 comments on “Arrebita Idanha Bio, a gastronomia ao ar livre em belos cenários

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: