Restaurantes

Um novo terraço no Cimas de sempre

Um dos mais antigos e respeitados restaurantes de Cascais, o Cimas, aproveitou o período da pandemia para apresentar novidades, inaugurando um terraço com 20 lugares distribuídos por cinco mesas no piso superior da característica casa em que está instalado na Marginal, no Monte Estoril, com esplêndida vista para o mar (na foto de abertura). “Para já, só abrimos o terraço ao almoço, mas tem sido um êxito, toda a gente quer ir para lá”, disse Sara Sobral ao Mesa Marcada. Juntamente com pai, José Manuel Cima Sobral, é ela que está à frente deste restaurante fundado por um inglês em 1941 como bar – daí o seu nome original “English Bar”, que em 2001 foi rebaptizado como Cimas – e adquirido em 1952 por esta família de origem galega (Pontevedra), radicada em Portugal desde o início do século XX.

O ambiente e a lista de pratos “clássicos” (a mesma do novo terraço) da sala principal de 60 lugares do Cimas mantêm-se, certamente para satisfação dos “fiéis” desta casa, que já teve clientes como a Família Real espanhola, então no exílio, escritores como o brasileiro Jorge Amado ou o galego Gonzalo Torrente Ballester, políticos como Marcello Caetano, Sá Carneiro ou Mário Soares. Ainda como bar, foi um dos locais preferidos dos espiões que se movimentavam na zona durante a Segunda Guerra Mundial, inclusive do famoso jugoslavo Dusko Popov, que terá inspirado Ian Fleming na criação da personagem James Bond.

Segundo Sara sobral, o Cimas atravessou relativamente bem este período de confinamento, não sendo muito afectada pela queda do turismo. “Os nossos clientes são sobretudo portugueses e estrangeiros que residem nesta zona e adoram vir cá. Aliás, até foi curioso, porque, como o restaurante é espaçoso, houve várias pessoas que vieram para cá em teletrabalho e vez de ir para Lisboa como costumavam fazer. Fomos uma espécie de escritório para eles”. 

A instalação do terraço, espaço que antes só era aproveitado para cocktails em ocasiões especiais como casamentos ou festas de aniversário, implicou na criação de um “elevador gastronómico” para os pratos que vêm da cozinha situada num piso inferior. Assim, também por lá se poderão apreciar especialidades como cocktail de marisco, linguado à Moleira (ou seja, à Meunière), cherne na canoa, perdiz de escabeche (das mais extraordinárias que já provei), galinhola à English Bar, rins de borrego ao Madeira ou panados à austríaca. Para a sobremesa, os sempre espectaculares crepes Suzette, também preparados em frente aos clientes do terraço. Com a chegada do bom tempo, lá virão outras especialidades, como o gaspacho e o salpicão de lagosta. Mas nem sempre os pratos sazonais são os preferidos. “Há clientes que até me pedem sopa de cebola gratinada em pleno Verão e nós temos que os servir”, sublinha Sara Sobral.

Uma fotografia dos anos 50

Cimas

Morada: Avenida Marginal, 2765, Monte Estoril

Tel. 214 681 254/214 680 413

Fecha ao domingo

Nasceu em Lisboa em 1963. Licenciou-se em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa e trabalhou em diversos jornais (Semanário, Diário Popular e Diário de Lisboa) e, depois, na área de comunicação empresarial. Em 1997, começou a colaborar com a revista “Fortuna” na área de gastronomia e vinhos. Em 1999, criou a página “Boa Vida” para o “Diário de Notícias”, que coordenou até Janeiro de 2009, com algumas interrupções. Entre 2007 e 2019, foi coordenador do Projecto Gastronomia da Associação de Turismo de Lisboa e, nesse âmbito, director do festival gastronómico Peixe em Lisboa, continuando a escrever artigos sobre gastronomia e restaurantes em várias publicações.

%d bloggers like this: